sexta-feira, 2 de julho de 2010

Dercy Gonçalves no céu...


- Porra, tá frio aqui em cima.
- O céu não tem temperatura, minha senhora - pondera um porteiro celestial de plantão.
- Não tem o cacete. Tá frio, sim, senhor - insiste Dercy.
- Prefere o inferno? Lá é mais quentinho!
- Manda tua mãe pra lá. Cadê o Pedro?
- Pedro só atende aos purificados.
- E eu tô suja por acaso? Tô cagada, mijada?
- Você primeiro tem que passar pelo purgatório, ajustar umas continhas.
- Não devo nada a viado nenhum.
- Você foi muito sapeca lá por baixo.
- Como é que você sabe? Andava escondido debaixo das minhas saias?
- Dercy, daqui de cima a gente vê tudo.
- Vê porra nenhuma. Vê a pobreza, a violência, meninas de 4 anos sendo estupradas pelos pais, político metendo a mão no dinheiro dos pobres, carinha cheirando até bosta pra ficar doidão? O que vocês vêem? Só me viam?
- Você fala muito palavrão.
- Eu sempre disse que o palavrão estava na cabeça de quem escutava. Palavrão é a fome, a falta de moral destes caras que pensam que o mundo é deles. Esses goelas grandes e seus assessores laranjas, tangerinas e o cacete!
- Está vendo? Outro palavrão.
- Cacete é palavrão, seu porteiro do caralho? Palavrão é a Puta Que o Pariu!
(silêncio por alguns segundos)
- Seja bem-vinda, Dercy. Sou Pedro. Pode entrar.
- CARALHO! Não é que eu morri mesmo! E o purgatório?
- Você já passou 101 anos por ele, lá no Brasil. Venha descansar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário