quarta-feira, 28 de julho de 2010

É esse lixo que vocês querem ver na Presidência?

terça-feira, 27 de julho de 2010

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Felipe Massa e Fernando Alonso !


Todos criticando o Felipe Massa pelo jogo de equipe da Ferrari na corrida de ontem. Eu também fui um grande critico do Rubinho quando ele deixou o Schumacher passar naquela corrida (da Áustria, se não me engano).
Mas há algum tempo eu entendi que não dá pra mais para encarar a F1 como um esporte. É um negócio. Desde então eu parei de acordar mais cedo no domingo para ver corrida.
Aquelas disputas acirradas (muitas vezes deslais e por isso saborosas) entre Senna e Prost dentro da mesma equipe ficaram no passado.
Então, para que não perca definitivamente a graça da brincadeira (que há tempos foi dominada pela tecnologia), prefiro entender a F1 como um time de futebol.
É como se na hora do gol, o Felipe Massa visse que o Fernando Alonso tinha mais chance de marcar e tocasse pro colega.
Prefiro ver o Massa como um meio-campista de qualidade, que deixou o colega na cara do gol e deu aquela assistência açucarada...

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Glee - Imagine


Imagine there's no Heaven
It's easy if you try
No hell below us
Above us only sky
Imagine all the people
Living for today

Imagine there's no countries
It isn't hard to do
Nothing to kill or die for
And no religion too
Imagine all the people
Living life in peace

You may say that I'm a dreamer
But I'm not the only one
I hope someday you'll join us
And the world will be as one

Imagine no possessions
I wonder if you can
No need for greed or hunger
A brotherhood of man
Imagine all the people
Sharing all the world

You may say that I'm a dreamer
But I'm not the only one
I hope someday you'll join us
And the world will live as one

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Nutricionista guarda McLanche Feliz por um ano

Uma reportagem publicada no final de março pelo jornal britânico Daily Mail deixou seus leitores de boca aberta. Uma nutricionista americana resolveu fazer um teste para constatar se a comida do McDonald's possui conservantes em excesso. O resultado foi assustador.






Durante um ano, Joann Bruso guardou um "Mc Lanche Feliz", um kit composto por sanduíche, refrigerante e batata frita, que acompanham um brinquedo e é vendido para as crianças. "A comida normal tem que se decompor, cheirar mal... Entretanto, o lanche e as batatas não estragaram e isso mostra que as crianças não estão comendo de forma saudável", declarou.
De acordo com a reportagem, Joann deixou o lanche e as batatas descobertos, em cima de uma prateleira em sua casa, no estado americano de Colorado, para checar o que aconteceria. Durante um ano, nenhuma mosca sequer chegou perto do sanduíche. "Eu deixava a janela aberta mas as moscas e outros insetos simplesmente ignoravam o 'Mc Lanche Feliz'".

"A comida é decomposta dentro do nosso organismo, que se aproveita dos nutrientes dela para transformá-los em combustível", explica Joann. "Nossas crianças crescem de forma saudável quando comem comida de verdade".


A nutricionista ainda explica que se o "Mc Lanche Feliz" foi ignorado por bactérias e micróbios que não fizeram a decomposição, isso significa que o corpo da criança também não consegue digerir esse tipo de comida de forma adequada.
Segundo dados apresentados pelo Daily Mail, pesquisas recentes afirmam que o pão da McDonald's possui uma série de conservantes como propionato de sódio. Já o pickles utilizado pela rede de fast-food leva benzoato de sódio.


As batatas fritas, que Joann descreveu como estando "douradas mesmo um ano depois", contém conservantes como ácido cítrico e pirofosfato de ácido de sódio, que mantém sua coloração.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Mais um fantoche para Ricardo Teixeira?

A Seleção Brasileira tem hoje apenas 2 opções reias de nomes pra a vaga do péssimo Dunga: Mano Menezes e Felipão.




Vanderlei Luxemburgo é ótimo treinador, mas também é um ímã para problemas e polêmicas.

O Muricy Ramalho é sensacional, mas muito mau humorado! Imagina como seria a relação com a impresa.

O ex-jogador Leonardo, que estava treinando o Milan, é muito boa gente, educado, poliglota, mas falta experiência para o cargo. O insucesso no Calcio mostrou isso.

Uma terceira opção seria o Paulo Autuori ou o Dorival Júnior, do Santos. Seriam, digamos, apostas de longo prazo!

Meu medo maior é o Ricardo Teixeira resolver apostar no seu genro, Ricardo Gomes! Criaria um problema no São Paulo FC, onde ele está quebrando um galho. E para a Seleção, seria sempre questionado pelo nepotismo da questão... competente ou não!

Se a palavra do momento é renovação, poderíamos começar por cima. Primeiro, Ricardo Teixeira , a Dona Benta da CBF. E depois a contratação de um sangue novo, que não tenha medo de convocar os meninos e não tenha rabo preso com Deu e o Diabo. No caso de Dunga, com o Coisa Ruim...

terça-feira, 6 de julho de 2010

Até a última ponta...

Banda sorocabana Samba Tereza faz música com descontração e muito swing. Veja a versão de Planet Hemp com batucada...

http://www.youtube.com/watch?v=0bStyHopLrQ


Opções ou a falta delas...

Nunca antes na história deste país eu tive tanto nojo e desesperança com a política brasileira.
E nunca antes as opções de candidatos a presidente foram tão ridículas. Serra, Dilma, Marina.... ? Qual o menos pior ? Mais uma vez vou ter que votar por exclusão?

Votar em branco é se isentar de uma responsabilidade? Prefiro pensar que é não compactuar com a responsabilidade de
dar prestígio para candidatos de tamanha
falta de brilho.

Para o 1º turno me restará votar em Marina Silva. Não é nenhuma mártir, salvadora da pátria. Apenas um prêmio de consolação.
Apesar de parecer uma boa pessoa, cheia de boas intenções, não consigo simpatizar 100% com uma pessoa que, no século 21, se posiciona contra o aborto, o casamento homossexual e as pesquisas com células tronco. Seria um retrocesso para o país.

sábado, 3 de julho de 2010

“É difícil trabalhar no local de trabalho”


Trecho da entrevista, publicada em Época, com o americano Jason Fried, dono da 37 Signals, empresa que desenvolve aplicativos para a internet e autor do recém-lançado livro Rework.

Ele bate numa tecla, que há muito tempo eu defendo: a improdutividade dos ambientes de trabalho atuais.



ÉPOCA – O que há de errado no método de trabalho da maioria das empresas?
Jason Fried – Há vários erros no modelo de gestão de empresas e de funcionários. Definir prioridades o tempo inteiro é um deles: tudo parece prioritário; logo, nada tem prioridade. O planejamento é outro ponto falho. Planejar é ótimo quando ocorre de fato. Muitas vezes esse planejamento é puro achismo: ideias abstratas baseadas em premissas desconhecidas e pressupostos que não sabemos se vão ocorrer ou não. Mas, para mim, o principal problema é a forma como trabalhamos e os locais para fazer isso. É difícil trabalhar no trabalho. Não nos deixam


ÉPOCA – Como assim?
Fried – O escritório, ou como queira chamar o local de trabalho comum, está repleto de interrupções. Se você fizer uma rápida pesquisa com seus colegas, vai perceber que a maioria prefere executar as tarefas pendentes de manhã cedo ou tarde da noite. Ou levar trabalho para casa, nos fins de semana. Esse não é o melhor jeito de trabalhar. Não se trata de uma questão de preferência dos funcionários. É uma decorrência do erro na estrutura dos locais onde trabalham.


ÉPOCA – Você acha que trabalhar em casa é mais produtivo que no escritório?
Fried – Na maioria das vezes, sim. Claro que depende do tipo de pessoa que você é – e da casa que tem. Há quem prefira o isolamento e a solidão para ter foco. Mas muitas pessoas encontram interrupções em casa: crianças, cachorro, empregados. Ou se deixam seduzir por dispersões como a TV, os livros, a música, a cama. Para a maioria das pessoas, trabalhar em casa todos os dias seria improdutivo. Mas todos podem se beneficiar de um trabalho em casa ocasionalmente. Uma vez por semana, duas vezes por mês. Isso ajudaria a produtividade e mostraria a importância do menos.



sexta-feira, 2 de julho de 2010

Dercy Gonçalves no céu...


- Porra, tá frio aqui em cima.
- O céu não tem temperatura, minha senhora - pondera um porteiro celestial de plantão.
- Não tem o cacete. Tá frio, sim, senhor - insiste Dercy.
- Prefere o inferno? Lá é mais quentinho!
- Manda tua mãe pra lá. Cadê o Pedro?
- Pedro só atende aos purificados.
- E eu tô suja por acaso? Tô cagada, mijada?
- Você primeiro tem que passar pelo purgatório, ajustar umas continhas.
- Não devo nada a viado nenhum.
- Você foi muito sapeca lá por baixo.
- Como é que você sabe? Andava escondido debaixo das minhas saias?
- Dercy, daqui de cima a gente vê tudo.
- Vê porra nenhuma. Vê a pobreza, a violência, meninas de 4 anos sendo estupradas pelos pais, político metendo a mão no dinheiro dos pobres, carinha cheirando até bosta pra ficar doidão? O que vocês vêem? Só me viam?
- Você fala muito palavrão.
- Eu sempre disse que o palavrão estava na cabeça de quem escutava. Palavrão é a fome, a falta de moral destes caras que pensam que o mundo é deles. Esses goelas grandes e seus assessores laranjas, tangerinas e o cacete!
- Está vendo? Outro palavrão.
- Cacete é palavrão, seu porteiro do caralho? Palavrão é a Puta Que o Pariu!
(silêncio por alguns segundos)
- Seja bem-vinda, Dercy. Sou Pedro. Pode entrar.
- CARALHO! Não é que eu morri mesmo! E o purgatório?
- Você já passou 101 anos por ele, lá no Brasil. Venha descansar!